A PORTA DO REDIL DAS OVELHAS, A PORTA PARA A VIDA EM ABUNDÂNCIA – JOÃO 10,1-10

0

Jesus contou a seguinte parábola: “Em verdade, em verdade vos digo, quem não entra no redil das ovelhas pela porta, mas sobe por outro lugar, é ladrão e assaltante. Quem entra pela porta é o pastor das ovelhas. A esse o porteiro abre, e as ovelhas escutam a sua voz; ele chama as ovelhas pelo nome e as conduz para fora. E, depois de fazer sair todas as que são suas, caminha à sua frente, e as ovelhas o seguem, porque conhecem a sua voz. Mas não seguem um estranho, antes fogem dele, porque não conhecem a voz dos estranhos”. Jesus contou-lhes esta parábola, mas eles não entenderam o que ele queria dizer. Então Jesus continuou: “Em verdade, em verdade vos digo, eu sou a porta das ovelhas. Todos aqueles que vieram antes de mim são ladrões e assaltantes, mas as ovelhas não os escutaram. Eu sou a porta. Quem entrar por mim, será salvo; entrará e sairá e encontrará pastagem. O ladrão só vem para roubar, matar e destruir. Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância”.


As parábolas que Jesus contava tinham o objetivo de transmitir sua mensagem através de uma imagem retirada do cotidiano do povo, para que fosse mais facilmente compreendida, e também para que fosse mais facilmente recordada no futuro.

Apesar da simplicidade das narrativas, o Evangelho nos diz que algumas vezes elas não eram compreendidas, como neste caso em que os discípulos não entenderam o que Jesus pretendia transmitir. Mas, apesar disso, eles sabiam que seu Mestre não se dedicava a contar historietas como se faz com as crianças com o fito único de distraí-las, pois sabiam que ele sempre imprimia uma razão ligada à sua pregação. Por isso, pediram explicação, o que talvez nós também fizéssemos se apenas tivéssemos ouvido a parábola, após a qual teríamos a mesma dificuldade para unir os fatos narrados com a mensagem do Cristo.

Porém, tudo ficou claro quando Jesus se colocou como a porta do redil onde as ovelhas eram guardadas, para significar que ele é a porta pela qual passam os seus seguidores, aqueles que ele identifica um a um, sabendo o nome de cada um, do mesmo modo que o pastor conhece quais são as suas ovelhas.

Também seus espíritos se abriram quando entenderam que os seguidores de Jesus vão atrás dele, ouvindo a sua palavra, assim como as ovelhas seguem seu pastor porque conhecem sua voz.

Ao lado desta parte bonita da parábola está a advertência de que ladrões não entram no redil pela porta de entrada, mas o fazem por locais escondidos do vigia, abrindo buraco na cerca e roubando as ovelhas através dele. É o que vemos no mundo atual como se via no tempo de Jesus, pois muitos enganadores da fé alheia ludibriam os incautos com promessas que não podem cumprir.

Esses incautos são diferentes dos discípulos de Jesus, porque estes sabem distinguir sua verdadeira palavra das palavras enganosas dos charlatães. Por isso, não se desviam do caminho do Cristo!

Jesus criticou acerbamente os falsos pastores do povo israelense, os que deveriam entender, ensinar e aplicar o espírito da Lei de Deus, mas apenas impingiam o que retiravam da letra dessa lei. Jesus referiu-se a eles como os ladrões das ovelhas do redil, mas assegurou que as suas ovelhas já não os seguiam, pois agora conheciam o seu verdadeiro pastor.

E finalizou dizendo: “Todos aqueles que vieram antes de mim são ladrões e assaltantes, mas as ovelhas não os escutaram. Eu sou a porta. Quem entrar por mim, será salvo; entrará e sairá e encontrará pastagem. O ladrão só vem para roubar, matar e destruir. Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância”.

De fato, as pastagens às quais Jesus conduz a sua gente não são pastagens deste mundo, como as que são pregadas pelos falsos pastores, mas são pastagens onde há vida em abundância, pois é vida que não se acaba e onde reina a paz e a alegria da convivência com Deus!

Por Dr. Ricardo Mariz de Oliveira

Categories: Evangelho Semanal

admin

Faça um comentário

%d blogueiros gostam disto: